Terra das Marias da Fonte ou fontanário - Quelhas

...Adapte a música;

...Adapte a música;

...Adapte a música;


"(Maria) do Monte" por "(Maria) da Fonte”,

nascida e criada,

num fontanário em Font’Arcada.
A lenda é antiga,

mas há quem a conte,

que descia um monte,

uma rapariga,

chamada (Maria) da Fonte,

para beber naquela fonte,

onde foi nascida.
E aquela hora por ela marcada,

juntou multidões de paus,

foices/roçadoras, chuços, forquilhas e enxadas.


O povo na encruzilhada,

esperava a (Maria),

seguiam depois bem juntos,

ao longo da estrada,

para matar o regedor e as gentes dos Cabrais,

para deixar registada,

a fonte sagrada,

onde tivera nascido.


Lutaram aquela hora marcada,

puseram o governo fora com a revolução.


E quando tudo acabou,

um certo dia,

como era esperado,

(Maria) desapareceu,

na encruzilhada,

não veio mais à fonte,

seus olhos divinos p´ra sempre fechou,

mas somente às vistas do povo.


Aldeia falou,

tocaram os sinos e (Maria) voou!?


E aquela hora,

por ela marcada,

juntou multidões na encruzilhada.


Mas oh santo Deus,

escureceram-se os céus,

fugiu a beldade,

e diz-se na encruzilhada,

que (Maria) da Fonte fugiu desesperada.

 

E, o fontanário vai ter saudade...
Têm piada esta balada?!...

O meu Site
VC gosta do livro de história da Maria da Fonte!?
sim
mais ou menos
não
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (341 votos)




ONLINE
1






“Um dia quando morrer hei-de dar a vez a uma criança nascer…”

in, "Quelhas" João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, 2006, p. 01.

 

...Um dia irei fazer tudo para que se juntem todos os artistas povoenses, desde o pintor ao poeta e ao jornalista, e fazer uma associação para divulgar as nossas inspirações que estão de certo modo esquecidas no tempo...

in, "Quelhas" João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, 2006, p. 247.

 

Um livro é um reconhecimento que fica aquém,

E se revela no tempo que nunca chega,

Se torna famoso depois da nossa partida para o além…

in, "Quelhas" João Carlos VelosoGonçalves, O livro da criança, 2007, p. 10

 

As crianças são como os rebentos:

Nascem, crescem e permanecem.

Ficam lindos!

Envelhecem e morrem…

in, "Quelhas" João Carlos VelosoGonçalves, O livro da criança, 2007, p. 14

 

Um livro é uma liberdade de expressão, que nos dá direito de dizermos o que sentimos, para te dar testemunho da realidade da vida…

in, João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 4

 

"Quelhas" poeta/crítico/escritor/jornalista/repórter, ou melhor, não é coisa nenhuma, é apenas autor dos seus próprios livros e teses em diversos jornais e comunicações sociais!

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 14

 

Gosto de criticar e ser criticado, sendo a crítica construtiva igual à destrutiva, no que diz respeito, apenas, à promoção...

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 18

 

Um livro é um momento, um estilo próprio de aperfeiçoamento de vida, de cultura e de sabedoria, sobretudo de aprendizagem.

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 26

 

Mensagem: Um escritor por mais que medite, escreva e pense, nunca; Jamais se lhe esgotam as palavras. Não é por acaso que ele é um literato e um sábio. Pois enquanto houver letras, ele apenas brinca com elas e não as deixa acabar, simplesmente constrói mais palavras…

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 28

METÁFORAS, A FORCA DA EXPRESSÃO, MENSAGENS