Terra das Marias da Fonte ou fontanário - Quelhas

Homenagem ao escritor Quelhas

Homenagem ao escritor Quelhas

Homenagem ao escritor Quelhas

 

O meu amigo tem nome

Ele chama-se Quelhas

Um dia terá renome,

porque acordou, as mentes velhas.

 

Quelhas problemático

Assim és conhecido

Por seres tão prático

No tocar, no tema esquecido.

 

Quelhas conflituoso

Como dizem as notícias

Na verdade, não és mentiroso

Só que não falas com carícias.

 

O Quelhas escreve

Aquilo que lhe é breve

Que lhe sai, do olhar ao pensamento

Ainda que possa ferir, outro sentimento.

 

Quelhas jornalista

Enigmático ou simplista

Escreves na prática

O teu senso, realista.

 

Quelhas é activo

Quando dá a notícia

Ele é sempre criativo

não o faz, com malícia.

 

O Quelhas não pára

na busca cultural

do nada ele fala

é assim, o seu estado normal.

 

Quando penso no Quelhas

Fico baralhado

Como é, que ele solta as abelhas

E sempre de bom agrado.

 

Estou em crer

Que o Quelhas continua a dizer

Que a liberdade de expressão

Não o cala na verdade com razão.

 

Neste preciso momento

O Quelhas está a ler

A noticia como passatempo

Para que depois também eu possa crer

Que é isto, que gosta de fazer.

 

Nas crónicas do jornal

O Quelhas escreve com emoção

Sendo bem ou mesmo mal

Assim vai mostrando o lado da razão.

 

Quelhas correspondente

Na Suiça para Portugal

Ele informa como vai a nossa gente

Estejam eles, bem ou mesmo mal.

 

O Quelhas afirma

Com o seu conhecimento

Que no que escreve confirma

Ser crente no sentimento.

 

O Quelhas é um amigo

Fácil de compreender

Não é nenhum perigo

Como andam alguns a dizer.

 

Quelhas comunicativo

Amigo e criativo

Gostas de partilhar

A tua forma de pensar.

 

O Quelhas escreve,

Em liberdade de pensamento

Também diz o que lhe ferve

No olhar e sentimento.

 

O Quelhas tem amigos,

Alguns mal conhecidos

Mal entendem o que ele diz

Faz-se grande mas é petiz.

 

Domingos Manuel Sousa Ferreira

Poeta Escritor Pintor Digital

O meu Site
VC gosta do livro de história da Maria da Fonte!?
sim
mais ou menos
não
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (341 votos)




ONLINE
1






“Um dia quando morrer hei-de dar a vez a uma criança nascer…”

in, "Quelhas" João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, 2006, p. 01.

 

...Um dia irei fazer tudo para que se juntem todos os artistas povoenses, desde o pintor ao poeta e ao jornalista, e fazer uma associação para divulgar as nossas inspirações que estão de certo modo esquecidas no tempo...

in, "Quelhas" João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, 2006, p. 247.

 

Um livro é um reconhecimento que fica aquém,

E se revela no tempo que nunca chega,

Se torna famoso depois da nossa partida para o além…

in, "Quelhas" João Carlos VelosoGonçalves, O livro da criança, 2007, p. 10

 

As crianças são como os rebentos:

Nascem, crescem e permanecem.

Ficam lindos!

Envelhecem e morrem…

in, "Quelhas" João Carlos VelosoGonçalves, O livro da criança, 2007, p. 14

 

Um livro é uma liberdade de expressão, que nos dá direito de dizermos o que sentimos, para te dar testemunho da realidade da vida…

in, João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 4

 

"Quelhas" poeta/crítico/escritor/jornalista/repórter, ou melhor, não é coisa nenhuma, é apenas autor dos seus próprios livros e teses em diversos jornais e comunicações sociais!

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 14

 

Gosto de criticar e ser criticado, sendo a crítica construtiva igual à destrutiva, no que diz respeito, apenas, à promoção...

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 18

 

Um livro é um momento, um estilo próprio de aperfeiçoamento de vida, de cultura e de sabedoria, sobretudo de aprendizagem.

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 26

 

Mensagem: Um escritor por mais que medite, escreva e pense, nunca; Jamais se lhe esgotam as palavras. Não é por acaso que ele é um literato e um sábio. Pois enquanto houver letras, ele apenas brinca com elas e não as deixa acabar, simplesmente constrói mais palavras…

in, "Quelhas" João carlos veloso Gonçalves, Terra das Marias da Fonte ou Fontanário, história com histórias..., p. 28

METÁFORAS, A FORCA DA EXPRESSÃO, MENSAGENS